Seja bem-vindo
Paracatu,23/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Mulher acusada de matar cachorros para consumo em João Pinheiro é levada à UPA após suposta agressão no presídio

Repórter Jeferson Sputnik, do Sputnik Voz do Povo, recebeu a denúncia de agressão e foi em busca da notícia; Presídio aponta queda de beliche

https://jpagora.com/mulher-acusada-de-abater-cachorros-para-consumo-em-joao-pinheiro-e-levada-a-upa-
Mulher acusada de matar cachorros para consumo em João Pinheiro é levada à UPA após suposta agressão no presídio Foto: Arquivo JP Agora

Por: JP Agora   |   


O caso da idosa que foi presa em João Pinheiro sob a suspeita de abater cachorros em sua residência, supostamente para se alimentar da carne, ganhou um novo capítulo nesta semana. O repórter Jeferson Sputnik, do Sputnik Voz do Povo, recebeu denúncias de que ela havia sido agredida por outras detentas no presídio local. No entanto, as agressões foram inicialmente negadas pela direção do estabelecimento prisional.


De acordo com o Sputnik Voz do Povo, a idosa de 75 anos teria sido agredida por outras detentas na cela, resultando em ferimentos consideráveis. O repórter entrou em contato com a direção da unidade prisional, que confirmou que a idosa apresentou ferimentos, mas atribuiu as lesões a uma queda da cama.

Em nota enviada ao portal, a direção do presídio de João Pinheiro informou que, no último domingo, 12 de maio, por volta das 13h, policiais penais foram chamados para socorrer a detenta Mirian Matos Lima, de 75 anos, que havia caído do beliche de sua cela. Ela foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento de João Pinheiro, onde recebeu tratamento médico e foi conduzida de volta ao presídio.

Na manhã desta segunda-feira (13), a detenta foi novamente avaliada pela médica da unidade prisional e encaminhada à UPA para a realização de exame de imagem. Mirian retornou à custódia e seu estado de saúde é estável, aguardando a marcação do exame solicitado.

Apesar de negar qualquer agressão durante seu depoimento, a direção da unidade prisional decidiu abrir um procedimento de investigação administrativa para esclarecer os motivos que levaram à queda. A medida visa garantir a transparência e a segurança de todos os detentos e servidores, mantendo os padrões de integridade e cuidado no ambiente prisional.

O caso ganhou repercussão nacional e a imprensa de João Pinheiro continuará acompanhando os desdobramentos.




Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.